Translate

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Exubérance- O Boticário

  O post de hoje é mais do que especial, é histórico. No dia 13 de outubro de 2014 abro o meu e-mail e leio uma mensagem inesperada e surreal que me dizia que eu seria a dona de um vidro do lendário perfume Exubérance, que O Boticário lançou no final dos anos 80(88 ou 89?).Frasco intacto, de colecionador, perfeito e com 80% de perfume preservado em seu interior.
Eu quase não pude acreditar nesta preciosidade que me chegava às mãos por intermédio do querido amigo Wagner, a quem venho agradecer por não ter se esquecido do meu pedido...Muito obrigada!


  O post é longo(e caduquinho, um pouco repetitivo, sabe?) mas eu preciso falar tudo sobre isso. Vem que tem!

  Falar sobre esse perfume é um prazer e um desafio também. Eu tenho aqui no blog um post dedicado ao Boticário onde cito os saudosos perfumes das décadas de 80 e 90 que eles fizeram o "favor" tenebroso de descontinuar. 
 Há muitas pessoas que reclamam dessas descontinuações em série mas nenhum dos perfumes da casa é mais desejado, lembrado, idolatrado e querido do que este. Quem o conheceu jamais o esqueceu.
  O primeiro contato que tive com esse perfume foi quando eu estava no ginásio e já usava os demais perfumes do Boticário citados. Lembro que houve seu lançamento e ele chamava muito a atenção como objeto de desejo das pré-adolescentes(de todo mundo na verdade mas quem tem 11, 12 anos quer ter 16, 17, 18) porque era um perfume mais sexy, mais voltado pra meninas quase mulheres. 
  Ele causou furor mesmo, a começar pelo frasco diferente, ousado, fabuloso. Opaco e leitoso, feito em opala com a pesadíssima tampa em pedra sabão, tinha ainda a etiqueta marmórea com o nome gravado.Lindo! Um show de design.Lembro também que era um pouco mais caro que os demais, talvez por conta do frasco mesmo.
  Aí, uma amiga resolveu participar do concurso Garota O Boticário, que ocorreu no ano de 1989, se não me falha a memória, e acabou não ganhando o concurso(quem ganhou foi a Cuca Lazarotto, que dois anos depois faria sucesso como VJ da MTV no Brasil) mas as garotas participantes ganharam, todas, o Exubérance como prêmio. Essa foi a primeira vez que o senti.
  Como a gente lamenta não guardar determinadas coisas...Eu sou do tipo que não suporto juntar velharias, guardo só o indispensável,mas os frascos do Exubérance e do Goldie eu senti não tê-los mais...
  Sabemos que a empresa, principalmente naquele tempo, fazia suas fragrâncias tendo como base inspiradora (não eram cópias) os mais famosos perfumes importados. Na época eu não sabia disso, eu era criança e depois adolescente, e segui usando as fragrâncias que eu mais gostava sem saber dessa associação.
  O meu preferido sempre foi o Goldie, baseado no Poison da Dior, o lindo Annete, que era o Anaïs Anaïs brasileiro, também o Malitzia, baseado no Giorgio Beverly Hills (fatos estes que só descobri bem mais tarde) e o Exubérance, o único que, até este ano,eu não sabia de fato em qual perfume havia sido inspirado.
  O problema é que não fui só eu. Parece que ninguém sabia que perfume era esse que havia servido de base para a feitura do Exubérance.
 Na internet há muitas reclamações sobre seu sumiço das prateleiras, principalmente no blog do Cris Bazoni, foco da maior concentração de pessoas falando sobre o assunto:
http://odorataparfums.blogspot.com.br/search/label/Exub%C3%A9rance
  O que eu lia era sempre a mesma coisa: " Amo esse perfume! Usei muito, é o perfume da minha vida, é perfeito, tenho saudades, daria tudo para tê-lo de novo, não me conformo com sua retirada do mercado" e..."Nunca conheci perfume igual na minha vida, sequer parecido!".
  Pronto, nunca ninguém sabia indicar um perfume que se parecia um pouquinho que fosse com o Exubérance, e assim íamos caminhando sem poder socorrermo-nos de uma fragrância importada que pudesse suprir a falta que ele nos faz.
  Tal assunto tornou-se uma pequena obsessão pra mim pois eu precisava descobrir, pra mim mesma e pra quem mais pudesse interessar, qual era esse perfume. Tratava-se de uma prestação de serviço social perfumístico, hahaha!
  Até que um dia conversando com a Vanessa Anjos (já em 2009!!) sobre esse tema que surgiu no seu site, "Perfume na pele", eis que ela traz uma luz à questão. Ela disse que ainda tinha um frasco guardado com cerca de 2 ml da fragrância e que o único perfume que ela achava que tinha alguma coisa do Exubérance era o Montana Parfum de Peau, que eu desconhecia. 
  Então eu perguntei se era igual a esse tal Montana e ela disse que igual, igualzinho não mas que eram muito semelhantes nas notas de saída.
  Toca ir atrás do Parfum de Peau! Não querendo esperar muito a chegada de uma encomenda internacional, acabei por comprar aqui no Brasil mesmo uma miniatura do dito cujo.
  Quando eu senti esse perfume eu fiquei enlouquecida!! Sim, parecia demais o Exubérance mas era mais forte, mais seco, mais incensado, assabonetado, "over" mas muito bem construído. Um bloco aromático da mais estupenda qualidade. Aquele elixir oriental e quente exalava na pele de modo tão envolvente que eu caí de amores e estupefação.
  Parti para a inevitável compra de um frasco grande daquela jóia da perfumaria, daquele escândalo alucinante em forma de perfume. E assim sou até hoje apaixonada por ele.
  Agora falo da questão que envolvia os perfumes que o Boticário fazia nos anos 80 e 90 e que fez com que eu, sentindo somente o Peau não tivesse "batido o martelo" sobre o fato de ter sido ele o perfume inspirador do Exubérance.
  É o seguinte. Como já citei, O Boticário não fazia a cópia perfeita do perfume importado base. E não, não é só saudosismo e idolatria. Eu sempre disse isso e continuo achando que os perfumes que O Boticário fazia eram melhores que suas inspirações porque ele usava mesmo uma fragrância como referência mas dava um toque diferenciado as suas composições.
  Quase todos eles eram mais ,não sei se suaves é a palavra certa, mas mais agradáveis mesmo, sem aspectos afiados, agudos, exagerados e focados em aldeídos, por exemplo. Longe disso, cada fragrância lançada era abrasileirada, talvez para funcionar melhor em nosso clima, não sei.
  Por esta razão eu tive uma certa dificuldade em aceitar que meu amado e gentil Annete (aquele do frasco marrom e fosco com tampa prata) era baseado no Anaïs Anaïs, porque Annete era melhor! Obviamente não me refiro às matérias-primas( como competir com Dior e outras g rifes de peso nesse aspecto?) mas ao aroma final mesmo. Tão cremoso, redondo, com cheiro de limpeza floral, de creme hidratante e assim...delicadíssimo!! Descobri que o Anaïs Anaïs vintage sim era lindo (e portanto mais perto do Annete antigo) e não o fabricado hoje em dia.
  O Goldie era o perfume de absinto perfeito! Doce acolhedor, quente como um abraço encantado e sem aquela sinteticidade que parece dominar o Poison, que acho maravilhoso, diga-se de passagem, mas Goldie era Goldie...
  Então, o Exubérance é o Parfum de Peau, eu venho aqui pra confirmar isso pra vocês, pra por fim a esse mistério, pra dar ao leitor interessado a chance de ainda acessar essa fragrância de alguma maneira. Era isso que eu precisava, acabar com essa dúvida, esse suspense, essa coisa horrorosa de ficar pedindo ao Boticário o relançamento da fragrância (se fossem espertos já o teriam feito!).
  Assim, como os exemplos citados acima, o Exubérance também, como perfeitamente descreveu a Vanessa Anjos (obrigada, Vanessa!!), é todo Parfum de Peau, principalmente na saída, mas nas suas notas de base e na própria evolução já percebemos uma diferença (bem sutil, ok?) que é uma composição mais frutal. Sim, Exubérance tem o seu desenrolar na pele mais leve e mais "jovem", mais alegre e colorido, voltado para uma luminosidade advinda de frutas, que eu arriscaria dizer serem tropicais, enquanto o Parfum de Peau foca muito no couro, no mel e no incenso (notas também presentes no brasileiro).
  Eu gosto de tentar descobrir as notas dos perfumes antes de consultar suas pirâmides, que é pra ver se acertei. 
  Quando soube que ia receber meu Exubérance, lembrei de uma conversa que tive com o Cris (Bazoni), quando ele disse que tinha um encarte do antigo Boticário onde constavam as notas de todos esses perfumes lendários. Então pedi pra ele me passar e ele passou as fotos desse catálogo e vejam só a descrição que o Boticário deu para o Exubérance:

"Uma delicada combinação de essências naturais com nuances chypre, notas de tuberosa, jasmim, musgo de carvalho e tons frutais". Tons frutais!!!!!!

  Depois de me apaixonar perdidamente (e não ficar sem) pelo Parfum de Peau, eu fui conhecendo alguns perfumes que consegui associar a ele, enfim, perfumes que acho muito parecidos,embora ele seja bem, mas bem superior a estes que citarei (comparem suas pirâmides olfativas e percebam as semelhanças das notas):

Parfum de Peau(Montana): Criado em 1986 pelo insuperável Jean Guichard, é uma fragrância assabonetada, incensada, intensa e intoxicante numa mistura poderosa de flores, frutas,especiarias, incenso e couro.

  • notas de saída: amora, gengibre, flor de laranjeira,pimenta, malmequer e groselha negra
  • notas de coração: patchouli, narciso, rosas e jasmim
  • notas de base: incenso, almíscar, âmbar e couro

Animale: Criado em 1987, este perfume é quente e bem forte, por isso é necessário usar muito pouco para que ele fique "bonito" na pele e não uma tragédia. Focado em notas de couro e mel, tem facetas arredondadas e enfumaçadas, formando uma espécie de aura pesada ao redor de quem o usa.Fez um sucesso estrondoso no final dos anos 80.

  • notas de saída:bergamota, neroli, jacinto, notas verdes,coentro e jacarandá
  • notas de coração:ylang-ylang, jasmim, raiz de íris, cravo,mel, rosas e lírio-do-vale
  • notas de base: coco, patchouli, almíscar, civeta, musgo de carvalho e vetiver

Rumba(Balenciaga): Criado em 1989menos doce que o Animale, Rumba foca mais no couro mesmo, é um perfume seco e com pontas mais afiadas e bem enfumaçado.Ele realmente é invasor, logo, costuma ser rejeitado. No caso é preciso ser usado mesmo em doses extremamente sutis.

  • notas de saída:flor de laranjeira, ameixa, morango, pêssego,manjericão e bergamota
  • notas de coração: mel, magnólia, gardênia, tuberosa, cravo,orquídea, lírio-do-vale, heliotrópio, malmequer e jasmim
  • notas de base: couro,sândalo, âmbar, fava tonka,patchouli, cedro, musgo de carvalho,baunilha, almíscar e styrax.
  Parfum de Peau, Animale e Rumba são semelhantes mas não iguais. E minha ordem de preferência por eles é essa. Eu sempre digo que apenas uma nota a mais, a menos ou em concentração diferente pode mudar tudo! E muda mesmo. 
  Só depois de sentir, usar, observar, deixar evoluir na pele, eu associei o Exubérance, não seu todo mas somente o drydown, a um outro perfume mais recente, criado em 2007, que é o Montaigne de Caron, criação de Richard Fraysse e cuja pirâmide olfativa é essa:

  • notas de saída:jasmim, coentro, laranja amarga,mimosa e tangerina
  • notas de coração:narciso e groselha preta
  • notas de base:sândalo, âmbar e vetiver
  Quem conhece sabe que é um perfume intenso, bem doce, abafado e que pra mim lembra na evolução aroma de borracha perfumada. É um pouco enjoativo até mas me fez lembrar o adocicado  que sinto no Exubérance.
  Falando somente agora do Exubérance, é dessa maneira que eu o sinto: floral branco oriental e apimentado entrecortado por cravo numa base amadeirada e adocicada que vai se apresentando ao longo do drydown. Bastante macio, eu sinto o tempo todo, desde a saída, a nota de ameixa acompanhada de incenso, couro e mel. Lindissímo!
  Além das notas declaradas pelo Boticário que compunham o Exubérance(jasmim, tuberosa,musgo de carvalho e tons frutais) eu apostaria em patchouli, baunilha, cravo(certeza)e frutas como ameixa(certeza),laranja e groselha negra.
  Por fim, o que tenho a dizer é : O sonho não acabou! Comprem o Montana Parfum de Peau e sejam felizes!



                                        Exubérance

                                   No santuário de opala  
                                   Repousava a líquida cabala
                                   O cimo de pedra sabão
                                   Coroando o mítico dragão
        
                                   Enamorou-se a tímida baunilha                  
                                   Do chypré musgo de carvalho
                                   A união foi selada pelo incenso
                                   Com alianças de sândalo e cravo

                                   De padrinhos, os gêmeos Castor e Pólux
                                   Brincavam num carrossel repleto de jasmim
                                   Ornamentados por ylang-ylang e tuberosas
                                   Recitavam um poema em mandarim

                                   Pegadas num pântano de patchouli 
                                   Marcavam o caminho pra lua de mel
                                   De Santelmo reluzia o fogo 
                                   Entre as asas negras de um corcel

                                   A viagem noturna guiada pelo animal alado 
                                   Seguiu sob densa atmosfera ardente
                                   Civeta e couro surgiram lado a lado
                                   Unindo-se em um dipolo-permanente

                                 
                                   Saboreando doces ameixas e groselhas
                                   Sob o som de harpas e violino
                                   Fizeram juras de amor eterno
                                   Brindando com licor de marrasquino

                                   Declaração de amor gravada em madeiras doces
                                   Com a seiva de carnais rosas aveludadas
                                   Até hoje permanece indecifrável o segredo
                                   Escondido em suas moléculas sagradas


  Link para o post do Boticário onde falo sobre os produtos antigos da marca, sobre as descontinuações e apresento material em fotos e vídeos dos anos 80 e 90.

26 comentários:

  1. Li, que post incrível! Mesmo não me lembrando do Exuberance, voltei á meados de década de 80/90 onde usar perfumes do Boticário era praticamente 'assinar' o atestado de adolescente, a infância havia ficado para trás... como éramos bobas...
    E que gostoso devia ser um Peau domado, adaptado ao clima brasileiro. Poxa, Boti, volta com esses perfumes e deixa as imitações do Fantasy pra lá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Di. É, naquela época eram os perfumes do Boti, Água de cheiro, Anaïs anaïs, que eram muito modinha,os jeans( jaquetinhas curtas, lembra?) da moda: Pakalolo, Print Rip, Forum ,Zoomp, Carmim. As bolsas lindíssimas da Side Walk, os sapatinhos de camurça London fog, os tênis da Nike, que começaram a ganhar o mercado com força, M2000,etc...Era uma modinha bem específica. Muito bom.
      Você conhece o Parfum de Peau e sabe o quanto ele é fortíssimo e adulto. Pois então, o Exubérance é exatamente um Peau frutado, arredondado, que fazia a cabeça da garotada mesmo. Se fosse excessivamente adulto, não agradaria.
      O Boticário poderia seguir a linha da variedade. Bem sabemos que este não é mais o tipo de perfume que é o foco desta década mas com certeza tem usuários fiéis, não ficaria abandonado, pelo contrário.
      Acho que uma boa grife de perfumes tem que apresentar de tudo: o fresco, o forte, o rosa, o quente, o adulto, o juvenil, o infantil, de tudo!
      Tem espaço para o Exubérance no mercado sim( e para o Goldie, e para o Malitzia) apesar de vivermos essa época insípida. Não somos todos iguais, ainda bem!
      Bjus

      Excluir
  2. Então... a hora que O Boticário deixar de ser tão Nativa Spa e Cuide-se bem (uó, viu?) dá pra voltar a ter esperança. Saudade dos tempos das ânforas, que só restam quatro ou cinco (Acqua Fresca, Cecita, Thaty, Free, tem mais algum?) e perdendo cada vez mais a qualidade.
    E as edições limitadas? Outro desgosto!
    Lily, você foi sortuda, menina!!! Aproveite seu Exsuberance!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Acho que sim, Pri, só restaram essas ânforas. Imagina, uma marca registrada deles...
    A edição limitada trouxe um Innamorata aguado mas o Crazy achei potente. Só se era mais e eu não lembro. Na verdade, eu nunca dei muita atenção ao Crazy feelings, ele ficava na lanterninha pra mim, rs.
    Sorte é pouco, Pri. Ter esse perfume é quase que um sonho mesmo.
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Lily, pura emoção neste post. Pelinhos dos braços arrepiados (liga?) e vontade de chorar. É lamentável que o Boticário não tenha a sensibilidade de resgatar seus clássicos e continuar nessa estratégia massificada e sem personalidade. Você já sabe minha opinião sobre isso e, graças a você, consegui comprar o kit com minha eterna paixão Innamorata. Parabéns pelo relato. Sou sua fã! Beijos querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita emoção, Dani. Sabe quando vc recebe o email e lê algumas vezes porque não parece ser verdade aquilo? Muito estranho, rsrs.
      Fico feliz de ter conseguido um kit dos sucessos, tava difícil achar nas lojas! Consegui no site mesmo.
      Bjão

      Excluir
  5. Caramba, que saudade de ler vc. Que absolutismo na escrita é esse?! Hiper parabéns! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jernê, você por aqui?? Seja bem vindo!! Apareça sempre. Bjus
      Li

      Excluir
  6. Eu ainda sofro, minha amiga, procurando meu Exubérance... Mas concordo com o que diz sobre Parfum de Peau e Animale. Quando conheci Ysatis, também tive uma ligeira impressão, entende? Mas aí vieram as rosas...
    Te adoro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris...quando te enviar suas coisinhas certamente te enviarei um pouco dele também mas entendo a vontade de te rum frasco mesmo. Sei lá, foi uma sorte louca tudo isso mas dessa vez eu estou com ko frasco do Parfum de peau e te envio mais, veja bem...foi ele...
      O Ysatis eu preciso testar de novo, quando conheci não achei parecido mas sempre é bom rever e analisar com mais cuidado.
      Te adoro também!! Bjão

      Excluir
  7. Oi Lily. Hoje resolvi passear nos blogs dos colegas ( até o sono dominar, que já é madrugada) e esbarrei nos antigos frascos do Boticário do Crris. Acabei dando uma volta na Mahogani com a Ju e pensei: - Vou espiar algumas das resenhas lindas da Lily. Por acaso caí aqui, bem no meio deste "imbroglio" de frascos antigos + Boticario+Cris+Juliana...heheheh. Agora não tem remédio. Só não esquecer de bem cedo (amanhã) procurar nas amostrinhas idosas pelo Parfum de Peau. Se é que eu tenho...beijocas flor

    ResponderExcluir
  8. Ia esquecendo... os perfumes do Boticário são realmente inspirados em composições estrangeiras, mas existe uma signature da marca. Algo que diferencia, principalmente no drydown. Talvez seja um acorde almiscar/ambar/sândalo. É muito bem feito com matéria -prima de qualidade. Imprime uma característica da marca e dilui algumas arestas ou intensidades. Este diferencial é bastante percebível. Já ouvi pessoas dizendo que é o que atrai nas fragrâncias e outras dizendo que é o que repele. Talvez quando se costuma usar o original fique mais difícil habituar com o diferenciado menos agressivo ou contundente. Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, querida! O blog anda tão paradinho...estou com umas questões a serem resolvidas desde o ano novo e não estou com inspiracão. Nem sequer tentando...ideias, um monte mas nem tinha mais aberto o blog e te devo ainda nosso post conjunto. Que vergonha...Depois explico.
      Quanto ao Boti, adorei saber sobre essa base comum aos perfumes, isso com certeza explica o diferencial das fragrâncias deles, ainda que usem fortes inspiracões estrangeiras. A mim agrada demais o modo como trabalham suas fragrâncias. Sem romantismo...eu sempre prefiro a versão do Boticário! Há algo ali que eles dominam com maestria. Bjus e obrigada pela visita sempre honrosa.

      Excluir
  9. Gente, alguém sabe de um site confiável em que eu possa comprar o Parfum de Peau? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Yris, no ebay você encontra fácil. Bjus

      Excluir
  10. Comprei o Parfum de Peau e é igual...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha ai que demais ler isso!! Que todos saudosos do Exuberance possam fazer o mesmo. bjus

      Excluir
  11. Que saudades do Exuberance.... como eu amava esse perfume. Fiquei com muito ódio do boticário por ter tirado ele de linha, nem pra lançarem uma edição limitada pra matar as saudades!! Eu iria fazer estoque. Eu adquiri o Animale numa troca, depois comprei o Parfum de Peau e estou esperando o Rumba chegar..... Mas pra mim nenhum deles é igual....... Acho o Parfum de Peau mais seco, o Exuberance era mais suave e um tico mais doce. Mas enfim... são as opções disponíveis pra matar a saudades. Pena o Boticário desrespeitar a gente assim desse jeito....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniela, vamos torcer pra ele retornar numa dessas edições limitadas que o Boticário vem inesperada mas sabiamente se prontificando a fazer...
      Não só com o Exubérance acontece isso mas, como eu disse no texto, com todos os perfumes do Boticário inspirados em estrangeiros isso acontece: nenhum deles é perfeitamente igual ao importado, sempre eles se baseiam em um e dão uma pequena modificada, de modo que, pro meu gosto sempre ficam melhores que os originais...O Goldie de que tanto falo, foi baseado no Poison e eu amoooo o Poison mas continuo afirmando que o Goldie era melhor!
      No caso do Exubérance, o Parfum de Peau foi claramente sua base mas sim, o do Boticário era mais redondo, doce e frutado enquanto o Peau é seco, focado muito no couro e bem fatal.
      Dá pra matar as saudades com os importados mas sempre queremos o do Boti, né?
      bjus

      Excluir
  12. houve um tempo que que eu evitava entrar em uma loja O boticário, pela quantidade de maravilhas olfativas, era simplesmente impossível entrar e não sair com as mãos cheias de sacolas e o bolso vazio, eram tantas maravilhas tanit,kalanit, vert, ravel, exuberance, zingara, gold, affinit, etc..., hoje eu evito entra pela pobreza olfativa, são perfumes que sinceramente não dizem nada, salvo os antigos que ainda (e nem sei porque) naõ foram tirados do nosso convívio, no caso o free, agua fresca e auns poucos mais. uma pena ver que essas empresas que nós fizemos chegar onde estão tratam os seus fieis clientes com este nivel de respeito.

    ResponderExcluir
  13. e os Eau de Larc da Natura? Alguém tem algum?

    ResponderExcluir
  14. Este perfume remete a uma sedução recatada. Fazendo com que essa inebriante fragrância desperte o desejo de se desvendar mistérios no outro. Quero ela de volta. Não importa a embalagem.

    ResponderExcluir
  15. Também sou orfã do Exeubérance!

    ResponderExcluir
  16. Olá! Que maravilha ler essa resenha! Por curiosidade, como conseguiu esse frasco tão raro do Exubérance?

    ResponderExcluir
  17. Que incrível! Que prazer em ler toda esta narrativa, estas comparações com outros perfumes para poder "aproximar" dos amados do Boticário. Na minha opinião, sem dúvida alguma, os melhores do Boticário foram: EXUBÈRANCE e GOLDIE, ícones de bom gosto, que o Boticário, nem de longe, atualmente, se aproxima. De fato, se fossem espertos, já teriam relançados estes e outros que muito são pedidos, e certamente venderiam muito mais. Talvez com estes perfumes, parasse de comprar tantos importados,kkkkk. Obrigada por esta matéria!

    ResponderExcluir